sexta-feira, 16 de abril de 2010

Menino, menina



Ai que saudade daquelas tardes de guitarra, sonhos e emoções. Ele ainda ia completar oito anos e ela já tinha dez. Saíam pelas ruas da cidade sem freio, rumo nem prumo, entre encontros furtivos e acasos planejados. Umas migalhas no bolso e uma aventura a cada esquina. Ganhavam o pão de cada dia entre sonhos de padaria, mas a mãe já dizia: ninguém vive de sonho. Nada dito, tudo subentendido e assim planejaram até se casar e se casaram, sem véu nem grinalda, de mentira e de verdade, como tudo o que existe nesse mundo. Aquilo não podia durar para sempre. Um dia o tempo ia passar e passou, e mudou. Hoje, algumas coisas já não fazem tanto sentido, mas fazem tanta falta.


Na guitarra: "velhos tempos, belos dias". Roberto e Erasmo


2 comentários:

  1. esse teu texto me lembrou demais uma música da nancy sinatra, filha do blue eyes.

    seasons came and changed the time
    when I grew up I called him mine
    he would always laugh and say
    "remember when we used to play?"

    vê como ela tem um quê da família roitman-tedesco.
    http://www.youtube.com/watch?v=T5Xl0Qry-hA

    ResponderExcluir
  2. Mamãe nem sempre acerta. Mas que ela estava linda, eternizada naquela pop-art marota, isso estava... que venham os novos casórios.

    ResponderExcluir