quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Submarina

.

Adriana Varejão


Quem mergulha fundo demais pode não voltar.

Eu conheço um monte dessas histórias de profundidades inimagináveis.

Pedir açúcar na vizinha também não é raso nem fácil.

Eu tenho medo quando alguém toca a campainha e invade o meu canto sem avisar - pra não dizer eu tenho pânico.

Respiro fundo, tomo fôlego. A xícara na mão e a vontade de sair correndo até arrancar o chaboque do pé.

A mãe diz: "é frescura dessa menina esquisita"

E assim fui aprendendo que esquisitice é ter medo de gente.

Mas de mar eu não tenho

É por isso que eu mergulho fundo.

.

2 comentários:

  1. tb não gosto que invadam meu canto sem avisar, nem avisando. gosto de ficar no meu canto comigo, esquisita. mas do mar eu não medo, por isso me volto pra ele, como tu. fico no meu canto e vc no teu, mas mando um beijo de longe, espero que o vente leve e te pegue de surpresa como uma brisa boa de fim de tarde.

    ResponderExcluir
  2. que belo Tyara. a você, um novo ano fluido e denso como o mar.
    reisla

    ResponderExcluir