sábado, 2 de março de 2013

Do lado de dentro


Afinal, do que sentes falta?
É do bolo saindo do fogo?
Do café doce e ralo de depois?
São dos gritos de mãe a separar teu nome em três pedaços?
É do velho da esquina, sentado, quarando?
Da luz vazada nos combogós?
É do lado esquerdo da cama?
Ou dos que dormem profundamente?

O costume,
esse filho do tempo.
Menino crescido.
Saiu de casa,
fechou a porta
e esqueceu a chave
do lado de dentro

Nenhum comentário:

Postar um comentário